História do Grupo

Wal Schneider discursando na apresentação dos alunos do projeto em 2008 (Acervo do projeto)

Wal saiu do Ceará com 17 anos de carona em um caminhão de melão, para seguir o sonho de ser ator no Rio de Janeiro. Passou por dificuldades; lavou pratos, fez faxina e passou fome, até conseguir se formar na CAL Casa de Artes em Laranjeiras. Mas seu sonho era maior, dizia que se conseguisse alcançar o seu sonho, faria de tudo para que outras pessoas também tocassem o delas.

Em 2007 foi convidado para dar oficina de teatro no SESC de Ramos para 50 meninos e meninas do Complexo do Alemão. A oficina tinha prazo de 1 ano por não ser formação de atores. Foi então que uma das alunas, Raquel, ofereceu sua casa para prosseguir com as aulas. Um quintal pequeno e as aulas acontecia também dentro de uma sala de estar. Sem uma sede fixa o projeto circulou por Bangu, Campo Grande, Quadra da escola de samba da Imperatriz Leopoldinense. No começo tinha 25 alunos no muro, cada mês entrava mais crianças querendo descobrir arte, o espaço era pequeno então teve a ousadia de ir para Bangu dar aulas. Junto com os alunos pegava o trem todo fim de semana para o armazém abandonado, logo depois mudaram-se de novo para uma igreja em Campo Grande, lá conseguiu estrear o espetáculo, e foi premiado como melhor espetáculo e melhor direção pela AABB.

Em 2011, Wal teve a ousadia de alugar um espaço em Olaria. Assim nasceu a organização No Palco da Vida, se tornando a Primeira Escola de Artes da Região da Leopoldina, Zona Norte do Rio de Janeiro. Cuja missão é germinar a cultura em Olaria, Complexo do Alemão e adjacências, com a efetiva participação da comunidade, por meio de uma arte humana que respeita e valoriza a diversidade, a ética o desenvolvimento pessoal. O objetivo é através da cultura (teatro, dança, musicalidade e literatura), desenvolver habilidades e competências de crianças, jovens, adultos e pessoas com necessidades especiais da comunidade, estimulando seu protagonismo e senso de responsabilidade.

Hoje com 12 anos em atividade, o projeto já atendeu mais de 4.000 mil alunos entre crianças, jovens, adultos, 3ª idade e pessoas com necessidades especiais através da arte. Tem na Biblioteca Padre Pio 8.000 mil livros de arte, 8.000 DVDs de arte em geral, mais de 100.00 críticas de arte em jornais e revistas, para estudos de alunos e visitantes.

Artistas nomeados como Zezé Motta, Malu Mader, Jacqueline Laurence, Cristina Pereira, Amir Haddad, Fernanda Torres entre outros já foram bater um papo com alunos para estimular a seguir na carreira, mostrando a possibilidade de realizar sonho.

Wal Schneider e os integrantes do Projeto No Palco da Vida em frente a escola .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *